4 dicas que você precisa saber antes de criar um Dashboard

Fala aí analítica e analítico de plantão, belezinha?


Você que nos acompanha já sabe que uma das habilidades fundamentais de um profissional da área de dados é saber criar dashboard eficientes, que facilitem o seu dia a dia e dos seus clientes. Separamos 4 dicas para te ajudar nesse processo.


1ª dica: Organização da informação


Ao criar um dashboard, é crucial pensar na organização da informação, não basta apenas jogar as métricas e dados aleatoriamente. É necessário estabelecer uma hierarquia e uma estrutura lógica para as informações apresentadas.

Por exemplo, se você está trabalhando com métricas relacionadas, como sessões e transações, é importante posicioná-las de forma coerente, evite colocar as sessões em um canto e as transações em outro, pois isso pode dificultar a compreensão dos dados. Em vez disso, agrupe as métricas relacionadas em conjunto e crie uma sequência lógica para a apresentação das informações, para organizar efetivamente as informações, é fundamental eliminar dados desnecessários.

Cada métrica e informação apresentada deve ter um propósito claro e contribuir para a tomada de decisões. Remova qualquer informação que não seja relevante ou que apenas ocupa espaço no dashboard, além disso, é importante considerar o volume máximo de informações que podem ser apresentadas em uma única página. Evite sobrecarregar o dashboard com muitas métricas, pois isso pode confundir os usuários e dificultar a compreensão dos dados.

Inside_post.png


2ª dica: Contar uma História


Um dashboard eficiente não é apenas uma coleção de métricas e gráficos, mas sim uma história que precisa ser contada. Ao criar um dashboard, é essencial exercitar a mentalidade de contar uma história para envolver os usuários e transmitir as informações de forma clara e objetiva.

Explique o que foi feito, como foi feito e por que foi feito. No entanto, é importante adaptar a narrativa de acordo com o público-alvo. Se você está criando um dashboard para uma área específica da empresa, leve em consideração o conhecimento e o contexto dessa equipe. Não deixe que a pessoa que recebe o dashboard tenha que se esforçar para entender as informações apresentadas.

Torne a história simples, objetiva e relevante para o público-alvo. Ao contar a história do dashboard, é fundamental destacar o período e as métricas selecionadas, bem como fundamentar a análise realizada. Explique por que determinadas métricas foram escolhidas e como elas contribuem para a compreensão geral dos dados.

Por exemplo, se você está analisando resultados de vendas, explique por que incluiu métricas de novos usuários, se elas estão relacionadas a uma campanha de topo de funil.

Ao criar uma narrativa envolvente, você evita que o dashboard se torne chato e garante que as informações sejam transmitidas de forma clara e impactante.

Para saber ainda mais sobre como criar uma narrativa usando o Storytelling para contar essa história, solte o play nesse Ep:


Utilize o método OPC, aquele que sempre citamos aqui na Métricas Boss:

O - O quê estamos levando?*

P - Por que é importante analisar isso?*

C - Como resolvemos ou mantemos isso?*

A explicação completa sobre o método OPC você confere aqui (o link entrará no aqui: https://metricasboss.com.br/artigos/nao-seja-printeiro-aprenda-a-metodologia-opc)


3ª dica: O layout


Existem várias maneiras de diferenciar visualmente as métricas, como o tamanho da fonte, o estilo do gráfico e a disposição dos elementos. Por exemplo, você pode destacar uma métrica importante aumentando o tamanho da fonte ou utilizando um gráfico de destaque. Isso ajuda os usuários a identificarem rapidamente as informações mais relevantes e a compreenderem a importância delas

A escolha das cores é um aspecto importante na criação de um dashboard. Muitas vezes, tendemos a seguir a paleta de cores da marca ou utilizar a cor do logotipo em todos os gráficos.

No entanto, isso pode dificultar a diferenciação das métricas e informações apresentadas. Cada métrica deve ter uma cor distinta para facilitar a identificação visual. Não é necessário utilizar todas as cores do arco-íris, mas é importante selecionar cores que sejam visualmente agradáveis e que transmitam a mensagem correta. Ao escolher as cores, leve em consideração o significado e a associação que elas podem ter.

Por exemplo, evite usar a cor vermelha para métricas de receita, pois essa cor pode ser associada a aspectos negativos.

No entanto, para métricas como investimento ou taxa de rejeição, a cor vermelha e verde podem ser apropriadas, pois ajuda a destacar a importância dessas métricas, verde quando estiver uma métrica boa e vermelha quando for ruim. Lembre-se de que as cores têm o poder de influenciar a percepção e a compreensão dos dados apresentados. Portanto, escolha as cores com sabedoria para criar um dashboard visualmente atraente e informativo.

Isso ajuda os usuários a identificarem rapidamente as informações mais relevantes e a compreenderem a importância delas. A diferenciação visual também pode ser alcançada através da disposição dos elementos no dashboard. Agrupe as métricas relacionadas em conjunto e organize as páginas de forma lógica. Se você está analisando dados de comportamento e dados de vendas, é recomendável agrupar essas informações em páginas separadas.

Isso facilita a navegação e a compreensão dos dados, permitindo que os usuários encontrem as informações relevantes de forma mais eficiente.

  • Lembre-se de que a diferenciação visual é fundamental para criar um dashboard intuitivo e fácil de usar.*

4ª dica: A cereja do bolo


Por fim, ao criar um dashboard, é essencial pensar na conclusão impactante que você deseja transmitir aos usuários. Um dashboard bem construído não apenas apresenta dados, mas também oferece insights e sugestões para a tomada de decisões.

Como profissional de análise de dados, você tem a oportunidade de exercer sua criatividade e oferecer soluções baseadas nas análises realizadas. A conclusão impactante deve responder à pergunta: "Como resolver o problema identificado ou aproveitar a oportunidade encontrada?". Após apresentar os dados e as análises, ofereça sugestões claras e embasadas para ações futuras.

Demonstre como as informações apresentadas podem ser utilizadas para melhorar resultados, otimizar processos ou identificar novas oportunidades de negócio. Ao fornecer uma conclusão impactante, você demonstra o valor do dashboard e sua capacidade de gerar insights relevantes.

Criar um dashboard eficiente requer planejamento, atenção aos detalhes e uma abordagem estratégica. Ao seguir as cinco dicas essenciais apresentadas neste artigo - organização da informação, contar uma história, escolha das cores, diferenciação visual e conclusão impactante - você estará no caminho certo para criar dashboards de sucesso.

Lembre-se de adaptar as dicas ao seu público-alvo e às necessidades específicas do seu projeto. Com um dashboard bem construído, você poderá visualizar e analisar dados de forma clara, facilitando a tomada de decisões informadas e estratégicas.

Dica Bônus:

Templates Ajudam MUITO!

Se você ainda está começando e precisa dar um pontapé inicial nos seus dashboards, templates podem ser uma mão na roda, por isso…

A MB tem mais de 10 templates para te ajudar no seu dia a dia.

Notícias de Digital Analytics para quem não tem tempo de ler notícias.
Junte-se a turma de 9000 leitores ativos

Métricas Boss: © 2021 - Versão 4.0 - Web Analytics é mais que um gráfico bonitinho!