Quais métricas e KPIs utilizar na criação de um dashboard?

Fala aí analítica e analítico de plantão, belezinha?
Neste artigo, vamos abordar algumas dicas de como fazer a escolha das métricas e KPI (Key Performance Indicator) a serem utilizadas no seu dashboard.

Antes de tudo, é preciso estarmos alinhados com os conceitos que vão ser trabalhados mais adiante.

Um dashboard é uma ferramenta de comunicação no qual há a exposição das métricas e KPI que vão facilitar a tomada de decisão de quem vai consumir aquela informação.

Há uma diferença entre métricas e KPI: a métrica é tudo aquilo que se pode mensurar. Já o KPI é uma métrica principal que indica se o nosso objetivo está sendo alcançado. Ou seja, todo KPI é uma métrica, mas nem toda métrica é um KPI, sacou?

De antemão já te adianto que: as escolhas das métricas e KPI para a criação de um dashboard está diretamente ligado aos objetivos de negócio, seja de uma área específica ou da empresa como um todo.

A primeira dica é: entender quem é o seu público


O ponto de partida para a escolha das métricas e KPIs é entender o público que irá consumir as informações no dashboard. Aqui vai alguns questionamentos que você pode se fazer:

Quais são as áreas da empresa que vão ler esses dados? Qual o nível de maturidade em Analytics de quem vai ler? Qual o cargo das pessoas que vão consumir as informações (analistas, heads, CEO etc)?

Pensando nesse contexto, você já será capaz de entender qual tipo de dashboard criar: operacional, tático ou estratégico. Você pode ler mais sobre esses conceitos clicando aqui.

A segunda dica é: Entender o propósito do dashboard


De nada adianta a criação de um dashboard sem que ele facilite a leitura dos dados e tomada de decisão do lado de quem está consumindo as informações, e que auxilie no acompanhamento do processo que leva a cumprir o objetivo final.

Com isso, é necessário entender quais os principais objetivos e dúvidas da área. Aqui vão alguns exemplos de questionamentos que podem ser feitos:

Qual o objetivo do dashboard? Quais são as metas de negócio? O que precisa ser analisado? Quais as principais dúvidas da área? Quais dados são analisados atualmente?

Esse briefing precisa ser feito juntamente com quem vai consumir as informações. Dessa maneira, você conseguirá ser mais assertivo com a sua entrega.

A terceira dica é: Organizar todas as informações coletadas.


Os dois passos anteriores são muito importantes, pois, após organizar todas as informações, você será capaz de identificar quais KPIs e métricas são relevantes para trazer no dashboard.

Através desses questionamentos, você terá um norte de como trabalhar a comunicação desses dados dentro do dashboard, como uma espécie de tradução, ou seja, coletar todas essas informações e depois traduzi-las em forma de dados.

Após a coleta de todas as informações, é necessário entender se é possível responder todas as perguntas com os dados que estamos coletando e se essas informações estão disponíveis nas fontes de dados que vão ser utilizadas.

O passo a passo para integrar seu dashboard às suas fontes de dados (Google Analytics, campanhas de Ads, planilhas, bancos de dados, entre outros) depende da ferramenta que você usa.

Aqui na Métricas Boss, somos adeptos do Looker Studio (antigo Data Studio), ferramenta do Google com versão gratuita que é bastante flexível.

Se você quiser aprender na prática sobre como montar seus dashboards no Looker Studio, sugerimos que você conheça a Métricas Boss Prime, nossa plataforma de cursos online, que além de outros 20 temas, ensina a criação de dashboards do zero até recursos avançados.

Métricas Boss Prime 25OFF - Sky_image.png

Iniciar a criação do dashboard:


Após ter todas as fontes de dados organizadas, a parte prática do dashboard se inicia, e nesse processo precisamos de mais questionamentos para conseguir trazer todos os dados necessários.

Um ponto chave nesta etapa é: A escolha das métricas e KPI está diretamente ligada a todas as informações que foram coletadas anteriormente? Como falamos no início deste post, elas precisam estar alinhadas com o contexto e dúvidas de negócio.

“A qualidade da entrega depende da qualidade do briefing” - Maria Fernanda Neurauter

Conclusão:


Como vimos aqui, a escolha das métricas e KPI na criação do dashboard está diretamente ligada ao objetivo e contexto do negócio, fazendo com que a etapa de briefing seja extremamente importante antes de iniciar a criação do dashboard.

Assim conseguimos filtrar todas as informações necessárias para a tomada de decisão baseada em dados!

Métricas Boss Prime 25OFF - Sky_image.png

Notícias de Digital Analytics para quem não tem tempo de ler notícias.
Junte-se a turma de 9000 leitores ativos

Métricas Boss: © 2021 - Versão 4.0 - Web Analytics é mais que um gráfico bonitinho!