Acompanhamento do Mobile App Analytics usando Firebase e GTM: acompanhe o envolvimento


A análise de aplicativos para dispositivos móveis se tornou rapidamente tão importante quanto a análise da web. Mas, você está vendo todos os dados de relatórios de aplicativos para dispositivos móveis e tomando as melhores decisões, certo? Talvez não. A análise de aplicativos ainda está evoluindo e pode variar muito entre as plataformas de desenvolvimento de aplicativos móveis, bem como as diferentes interfaces.


Então, por que isso importa para você?


No momento, os downloads de lojas de aplicativos estão atingindo mais de 100 bilhões, e até 2020, as receitas de publicidade nas lojas de aplicativos e aplicativos devem atingir quase 189 bilhões de dólares. Se você não prestar muita atenção ao que seus clientes estão fazendo no seu aplicativo e otimizar as experiências deles, sua organização pode estar perdendo milhões em receita. Ainda mais importante, você pode perder a oportunidade de aumentar a afinidade da marca, o que a protegerá e ajudará a sustentar seu fluxo de receita recorrente.


Os dados do Analytics no seu aplicativo para dispositivos móveis vão muito além de apenas downloads e visualizações e podem fornecer informações importantes, como:


◼ Quais recursos do seu aplicativo estão sendo usados?

◼ Quais são os termos de pesquisa usados?

◼ Como funciona o funil de conversão?


Ao avaliar o engajamento do aplicativo e coletar dados do funil de conversão, você pode trabalhar continuamente para uma melhor experiência do usuário e maiores taxas de conversão.


Rastreamento de aplicativos móveis + Sistemas de gerenciamento de tags


celular- app - artigo- gtm e firebase.png


Usar um sistema de gerenciamento de tags, em vez de implementar o código de análise diretamente dentro do aplicativo, significa que você não precisará recriar e distribuir seu aplicativo quando houver uma alteração nos parâmetros de análise, na estrutura de eventos ou nas convenções de nomenclatura.. O uso de um sistema de gerenciamento de tags elimina a dependência que força seus clientes a atualizar o aplicativo antes que os dados comecem a coletar harmoniosamente. Assim como você usa um Sistema de gerenciamento de tags no seu site, você o usa no aplicativo, enviando dados para sua plataforma de análise.


Lembre-se de que o uso de um sistema de gerenciamento de tags em aplicativos móveis não é tão poderoso quanto em um site . Você é limitado em termos de funções e tags disponíveis àquelas que o Sistema de Gerenciamento de Tags suporta diretamente. Por exemplo, nem todas as tags de fornecedores de marketing se integram nativamente aos contêineres de aplicativos para dispositivos móveis do Google Tag Manager, mas a lista está crescendo e alcançando as disponíveis nos contêineres da Web.


O acompanhamento do sucesso do App Analytics começa com uma estratégia sólida


Sua estratégia de análise de aplicativos deve começar com seus objetivos de negócios e KPIs. Por exemplo, se você possui um aplicativo de comércio eletrônico, verifique se os KPIs têm métricas de comércio eletrônico que refletem sua estratégia geral de negócios. Ao elaborar seus KPIs de análise de aplicativos para dispositivos móveis , alinhe-os também aos do seu site (se você tiver um).


É essencial integrar dados da Web e dispositivos móveis para analisar os dados de seus negócios e clientes de forma holística. Você ganha muito mais combinando os dados e vendo como seus esforços de marketing funcionam juntos em diferentes plataformas. Na Blast, arquitetamos rollups para análise de sites e aplicativos para dispositivos móveis no Google Analytics e no Adobe Analytics . Por exemplo, se seu site mede visualizações de página e seu aplicativo mede visualizações de tela, podemos dividi-las por plataforma ou agrupá-las em uma visualização.


O uso de uma estrutura de eventos padronizada e nomes semelhantes de páginas e telas são algumas das muitas maneiras de permitir que os rollups entre dispositivos compreendam a jornada do cliente nas plataformas .


Uma estratégia de análise eficaz descreverá seu plano de marcação de aplicativo para alinhar-se com sua marcação na web e definirá como você mede as duas plataformas. Uma coisa bonita acontece quando os resultados são casados: eles vivem felizes para sempre.


Gerenciador de tags do Google + Firebase = Mobile App Analytics for the Win


Se você tem um aplicativo para iOS ou Android, pode usar o Firebase com o Google Tag Manager (GTM) para rastrear atividades de engajamento e comércio eletrônico em seu aplicativo para dispositivos móveis.


Caso você não esteja familiarizado com o Firebase, é a plataforma móvel do Google que ajuda a desenvolver rapidamente aplicativos de alta qualidade e fornece suporte para mensagens, relatórios de falhas (por exemplo, Crashlytics), análises, monitoramento de desempenho e muito mais.


É simples começar. Depois de importar as bibliotecas necessárias do Firebase para o seu aplicativo, você pode começar a enviar dados para o Google Analytics por meio de eventos do Firebase que o Google Tag Manager processará e enviará para o Google Analytics (ou outras tags suportadas). Abaixo está um resumo de alto nível das etapas necessárias para implementar a análise de aplicativos para dispositivos móveis usando o Firebase e o Gerenciador de tags do Google, seguido de um tutorial.


Etapas para implementar o Mobile App Analytics


Etapa 1: Prepare-se

1️⃣ Crie um novo projeto no Firebase Console e adicione os detalhes do seu aplicativo (você precisará do ID do pacote iOS ou do nome do pacote Android).


2️⃣ Crie um novo contêiner GTM com base no sistema operacional do seu aplicativo, escolhendo Firebase como a versão do SDK.


Etapa 2: prepare-se


3️⃣ Publicar e exportar o contêiner GTM (ele pode estar vazio sem tags);


💡 Dica: Certifique-se de publicar o contêiner GTM inicialmente, ou o Firebase exibirá o erro "Não é possível recuperar o contêiner da rede".


4️⃣ Adicione o Firebase e o Gerenciador de tags do Google ao seu aplicativo. Siga as instruções nos documentos do desenvolvedor para iOS e Android sobre o que você deve adicionar ao seu projeto de aplicativo e como.

Observação : se você estiver executando campanhas, é recomendável ativar também o AdSupport Framework .


💡 Dica: para contêineres móveis do Gerenciador de tags do Google, a importação inicial do contêiner é usada para definir as configurações iniciais das tags. Depois que o aplicativo se conectar à Internet e baixar um contêiner, ele nunca mais usará o contêiner padrão. Os aplicativos normalmente verificam atualizações de contêiner a cada 12 horas. Portanto, quando você fizer alterações no seu contêiner GTM, não espere ver o impacto no seu aplicativo imediatamente.


Etapa 3: IR


5️⃣ No GTM, crie suas tags de rastreamento, usando os parâmetros do Firebase (ou variáveis ​​internas) como dados em suas tags e os eventos que você registra quando a tag é acionada.


6️⃣ No aplicativo, comece a enviar dados registrando eventos em seu aplicativo por meio das chamadas de "Log Event" do Firebase. Ou utilize os eventos internos do Firebase que também estão disponíveis no GTM como gatilhos.


Tutorial do GTM + Firebase: fundamentos de rastreamento do Mobile Analytics


⚠️ Este tutorial demonstra o código de rastreamento usando o iOS Swift; consulte a referência do Firebase para obter a sintaxe do código para Swift ou Objective-C no iOS e também para a sintaxe do Android .


Caso de uso do mundo real


Você tem um aplicativo de guia de viagem e deseja acompanhar quando o usuário clica no ícone do balde para adicionar um destino ou atividade à "lista de baldes" do aplicativo com detalhes completos da interação como um evento no UA. Mas, você também deseja acompanhar o nível de associação e o idioma do dispositivo.


firebase e gtm - imagem 02 - google analytcs .png


Os detalhes do hit do Google Analytics acima são o que deve ser destacado em sua estratégia de análise, com detalhes de tipos de dados e nomes de variáveis ​​em todas as plataformas. A seguir, é apresentado um passo a passo da configuração do Gerenciador de tags do Google e da Firebase para rastrear essa interação de engajamento.


Tipo de associação: Variável de propriedade do usuário


As propriedades do usuário no Firebase são atributos que você define que pode ser usado para descrever segmentos da sua base de usuários. Neste exemplo, você precisa definir a propriedade de usuário no nível de associação quando o membro efetua login usando a função setUserProperty e torna-se legível pelo GTM a qualquer momento após ser definida.


firebase e gtm - imagem 03 .png


O valor do parâmetro para 'idioma do dispositivo' pode ser detectado automaticamente no Gerenciador de tags do Google, não é necessária codificação no aplicativo. No GTM, configure as variáveis ​​internas e ative 'Idioma'. Isso criará automaticamente uma variável chamada 'Idioma' que você pode usar em tags.


firebase e gtm - imagem 04.png


Adicione à lista de buckets : Evento personalizado e variáveis ​​de evento


Para todos os outros parâmetros conhecidos no momento do evento de interação, você deve criar variáveis ​​de evento no Gerenciador de tags do Google, semelhante à maneira como você cria variáveis ​​do DataLayer em contêineres da Web GTM. A captura de tela do GTM abaixo mostra a configuração do parâmetro list_item, o mesmo deve ser feito para os parâmetros list_type e event section. O código do Firebase registra o evento personalizado "add_to_bucket" junto com seus parâmetros. Observe que, embora rastrearemos o tipo de associação e o idioma do dispositivo com esse evento, eles não fazem parte do código logEvent, pois já estão configurados como uma propriedade do usuário e um parâmetro interno detectado automaticamente no GTM.


◼ Acompanhar o evento Interação como Google Analytics


Crie uma tag no Gerenciador de tags do Google para configurar o rastreamento de eventos e mapear as variáveis ​​para as dimensões do Google Analytics para o hit do evento.


firebase e gtm - imagme 06.png


Quanto ao gatilho, você o baseará no nome do evento personalizado que será usado no código.

firebase e gtm - imagem 07.png


Voilà! Agora publique o contêiner do Gerenciador de tags do Google para começar a acompanhar suas análises de aplicativos para dispositivos móveis!


Resumo do Caso de Uso


Este tutorial rápido demonstrou como usar eventos personalizados para rastrear suas interações com aplicativos; você pode fazer as mesmas personalizações para visualizações de tela ou qualquer tipo de envolvimento do usuário que deseja acompanhar. No entanto, sempre tente otimizar seus eventos e o contêiner do Gerenciador de tags do Google, observando sua estratégia de rastreamento analítico e veja quais interações podem usar as mesmas tags ou eventos e como o uso de parâmetros pode ajudar a reutilizar tags e acionadores.


Em nosso exemplo, poderíamos ter a interação "Adicionar à lista de buckets" em outro lugar do aplicativo, como a tela inicial, na qual você sugere destinos para os usuários do aplicativo com base no histórico deles. Você pode acionar o mesmo código GTM e Firebase, apenas alterando o valor do parâmetro para "seção" para "Destinos sugeridos". **Esse é o fruto do uso de um plano de marcação do Firebase baseado na estratégia de análise **; tornando esse código reutilizável no seu aplicativo como uma função e também resultando em um contêiner mais leve do Gerenciador de tags do Google.


E lembre-se, se você tiver a mesma interação de "Adicionar à lista de buckets" em seu site, poderá usar a mesma estrutura de parâmetros de eventos juntamente com dimensões personalizadas. Portanto, ao reunir os dados do aplicativo e da web, você consolidou os dados no envolvimento sem a necessidade de qualquer manipulação ou cálculo de dados.


🚨 Não se esqueça: sempre teste!


Você pode testar seu código e depurar usando a visualização Firebase Debug no console do Firebase. Fique ligado na próxima postagem com mais detalhes para testar e solucionar problemas de implementações do Firebase + Google Tag Manager com nossa ferramenta Decodificador.


🎁 Bônus! Dicas do GTM + Firebase


🔶 Se você tiver dados de perfil de usuário usados ​​em mais de um evento, configure-os como propriedades do usuário para que possam ser acessados ​​pelo datalayer GTM a qualquer momento; minimizando assim as recriações e atualizações do aplicativo.

🔶 Crie um "Evento do Google Analytics" genérico no Firebase e GTM para ser usado em todas as interações rastreadas como eventos no Google Analytics.

🔶 Use variáveis ​​internas do GTM quando puder, especialmente se estiver acompanhando dados de campanhas de marketing no aplicativo ou compras no aplicativo. Veja a lista de variáveis internas para iOS e Android .

🔶 Defina um valor padrão para suas variáveis, o Firebase gera avisos para valores nulos que podem interferir no seu rastreamento analítico.

🔶 Faça uso dos eventos que são acionados automaticamente pelo Firebase; ao criar gatilhos de tag GTM, selecione-os em "Eventos automáticos do Firebase". Isso também não exigirá que você faça reconstruções de aplicativos. Veja a lista dos eventos coletados automaticamente .



Dúvidas? Comentários? Sugestões?


Mande um e-mail para gente contato@metricasboss.com.br, até a próxima 😄

Siga-nos Instagram @metricasboss


Métricas Boss: © 2021 - Versão 4.0Web Analytics é mais que um gráfico bonitinho!