Qual o papel do desenvolvedor no Web analytics - Parte 2

Performance como parâmetro de conversão?

Como conversamos no primeiro post da série Qual o papel do desenvolvedor no Web Analytics estipulamos um tripé para começarmos a analisar as métricas daqui para frente, dentre as métricas estabelecidas anteriormente temos:

  1. Performance
  2. Origens de trafego
  3. “Trackeamento” de eventos

Hoje falaremos um pouco mais sobre performance e como ela afeta sua conversão, como desenvolvedor passei muito tempo batendo na tecla de performance e como ela é importante pras vendas e origens orgânicas de trafego. Porém, sem sucesso era muito difícil justificar o investimento em cima de uma pilha de demandas, campanhas, hot sites e etc. Ao longo do tempo aprendi a como utilizar as ferramentas que vamos falar abaixo ao meu favor, nesse post iremos aprender como, quando e o que precisamos para começar um projeto de performance. Vamos lá :)

Como explicar pro seu gerente de marketing.

Vamos nos colocar na seguinte situação: Você tem uma vaga na sua empresa em aberto, você anuncia a vaga e recebe uma série de currículos, após analisar seus candidatos você seleciona um candidato. Esse candidato tem como características principais: “Extremamente responsável, pontual e com sede de conhecimento”.

Data e horário marcados, você se prepara para entrevistar seu candidato, chegado o dia da entrevista você está ansioso esperando para conhecer o João, porém, em cima da hora da entrevista João te ligou avisando que vai se atrasar 15 min. Você entende perfeitamente correto? O transito hoje em dia realmente está um caos, 15 min depois e o João ainda não chegou e agora? Você tenta ligar para o João e ele não o atende e nem te liga avisando o que aconteceu… TSC, TSC.

Sensação ruim né, imediatamente você começa a se questionar sobre a responsabilidade e e pontualidade do seu candidato. Seu usuário pode estar se sentindo da mesma forma. :’(

Performance não é bagunça, então algumas regrinhas básicas :)

No outro post, definimos nosso tripé básico de análise de dados. E hoje veremos como usufruir ao máximo de ferramentas como webpagetest.org, yslow e page speed insights. Mas antes vamos as algumas regras.

  • Teste sempre baseado na conexão dos seus usuários;
    • A Akamai lança a cada trimestre um relatório de conexão que mostra a velocidade da internet do seu país de atuação.
  • Não teste só a home page do seu site;
    • É muito comum pensar em iniciar seus testes de performance na home, mas não esqueça de verificar seu site como um todo. Verifique em qual página você está recebendo o maior índice de rejeição e começa a analisa-la. :)
  • Meça seus resultados PARÇA;
    • Um dos maiores erros que eu já vi em começar um trabalho de performance em uma empresa é fazer todo trabalho de uma vez, sem medir a evolução durante o processo, dívida seu trabalho em etapas seu gerente/cliente anseia por resultados, logo não deixe de mostrar sempre seus ganhos.
  • Procure sempre automatizar seus testes;

Com que frequência eu devo monitorar meu site.

Bem, depende… Ferramentas como pingdown e sppedcurve em seus planos básicos te darão um teste diário e sinceramente é justo. Porém, dependendo do tamanho do seu negócio pode não ser o suficiente, o mundo ideal seria testes automatizados de hora em hora, além de testes a cada deploy para produção/homologação. Isso te ajudará a agir de forma mais contundente em possíveis downtimes e novas funcionalidades afetando o carregamento do seu site.

O que é grade?

Se você já fez algum teste de performance de seu site provavelmente já se deparou com alguma dessas imagens.

exemplo de google page insights
(Google PageSpeed Insights)

yslow exemplo de relatorio

web page test exemplo de relatorio

Seu grade é a média calculada baseado nas boas práticas de performance que você vem utilizando no seu site, essas boas práticas que melhoram o carregamento do seu site. Iremos ver isso detalhadamente no próximo post da série :), agora o papo são as ferramentas e como extrair o melhor de cada uma delas.

PageSpeed insights

Bem, desenvolvido e mantido pelo google o PageSpeed insights tem como maior vantagem a analise direto dentro do seu painel do analytics, além de extrair dados sobre o carregamento do seu site no celular o que é excelente para ter uma visão mais macro do seu projeto.

Webpagetest.org o que faz, o que come, onde vive…

Essa incrível ferramenta open source a partir de agora vai ser sua melhor amiga para a criação de relatórios e principalmente para justificação de investimento da sua empresa em performance. Um dos maiores destaques é acesso a testes personalizados pela conexão do seu usuário, além de outras variáveis como navegador e etc.

Além de tudo isso o Webpagetest.org te da a possibilidade de comparar os testes com seus concorrentes e quando eu digo que ele vai te ajudar a justificar investimento em perfomance e exatamente disso que eu estou falando.

Bem não preciso dizer mais nada né, comparar seu carregamento aos seus principais concorrentes é uma excelente estratégia para justificar o investimento em qualquer área. Use e abuse desse recurso :)

Yslow

No mesmo estilo das outras ferramentas já citadas, o Yslow também tem uma série de boas praticas definidas como regras para análise e criação da pontuação do seu site, o grande diferencial dessa ferramenta é poder automatizar os testes. O Yslow disponibiliza uma série de ferramentas, que com um pouquinho de código você conseguirá automatizar os seus testes.

Conclusão

Deu para ver que temos diversas ferramentas para monitoramento da performance do seu site, crie uma rotina de monitoramento, analise seus KPIS e comece a mudar a maneira com que os seus usuários acessam seu site. Além das conversões na página (usuário compra produto), você vai aumentar a quantidade de acessos no orgânico tendo em vista que performance virou dos parâmetros de ranqueamento do Google. Bem, já não preciso dizer mais motivos para você não começar a pensar em performance, deixe a preguiça de lado e arregace as mangas :)